Biografia

Gonçalo Salgueiro

Educado no culto do amor à música nas suas mais variadas formas de expressão, este alentejano de Montemor-O-Novo, transporta o sentimento que a paisagem imprime, remetendo ao mais íntimo do género humano aquelas cambiantes que fazem do seu Fado e de tudo o que interpreta arauto de um sentir universal.

 

Ainda estudante universitário, foi convidado pela Dra. Isabel Morais a cantar no Museu de Marinha para congressistas oriundos de todo o mundo no “XIV International Association for the Child’s Right to play”.

Daí para o “Clube de Fado” e “Velho Páteo de Sant’Ana” foi um ápice.

Em 2000/2001, a convite do encenador Filipe La Féria, integra o elenco do Musical “Amália”, no papel de Eduardo Ricciardi. É interpretando “Aïe, mourir pour toi”, em dueto com Alexandra, que chama sobre si a atenção da crítica e do público.

Numa produção TVI, João Braga convida-o a cantar na noite de homenagem a Amália Rodrigues, frente à Igreja de S. Vicente de Fora.

 

A RTP Internacional no programa “Fados de Portugal” apresenta-o ao mundo.

Os convites sucedem-se para concertos, espectáculos e participações especiais em discos comemorativos, musicais de Revista, música Coral e Poesia.

Em 2002 grava o 1º álbum a solo “…No tempo das cerejas”, uma assumida homenagem a Amália, onde recria alguns dos seus temas esquecidos.

Ainda em 2002, é convidado pelo músico/compositor José da Ponte a gravar para a RTP1 o tema “Lusitana Paixão”, genérico da telenovela, de Moita Flores, com o mesmo nome.

Nesse mesmo ano, a convite do actor/encenador Júlio César, estreia-se no Casino Estoril – Salão Preto e Prata – no grande espectáculo musical “Egoísta”, ao lado de Rita Guerra, Dora e Náná de Sousa Dias, onde permanece até Março de 2004.

Espectáculos pela Europa e USA, levam-no ao contacto mais próximo com o grande público que, tal como os críticos, são unânimes em afirmar a sua extraordinária versatilidade, emoção e presença.

A sua voz faz-se ouvir, ocupando os lugares cimeiros nas rádios nacionais e nas rádios portuguesas espalhadas pelo mundo, com particular destaque para a Rádio Alfa, Paris e Rádio Amizade, Luxemburgo.

 

Em 2006, edita o 2º Álbum “Segue a minha Voz”, que será reeditado em 2012 com a mais valia de duetos inéditos com Fernanda Maria e Beatriz da Conceição.

 

Em 2007, é de novo chamado por Filipe La Féria para interpretar Jesus Cristo no Musical de Andrew Loyd Webb e Tim Rice “Jesus Cristo Superstar” que estreou no Teatro Rivoli, Porto, vindo depois para o Teatro Politeama, Lisboa, sempre com lotações esgotadas.

 

2009/2010, edita o CD/DVD homónimo “Gonçalo Salgueiro” onde se revela como autor de versos para o Fado.

2010 a 2013 – Gonçalo volta ao Casino Estoril para protagonizar duas produções musicais de Filipe La féria “Fado – História dum Povo” e de seguida “O Melhor de La Féria”, tendo o último sido reposto com grande êxito em 2013 no Teatro Rivoli, Porto.

2011 – É distinguido pela SPA – Sociedade Portuguesa de Autores, na Gala de Homenagem ao Fado.

Em 2012 Gonçalo Salgueiro é galardoado pela Fundação Amália Rodrigues com o Prémio Amália Rodrigues 2012 na categoria “Tributo a Amália”, prémio pela primeira vez instituído e atribuído.

Gonçalo Salgueiro divide a sua vida de cantor/actor com a de Letrista e a de Produtor Discográfico para intérpretes nacionais e internacionais.

2013 – Gonçalo Salgueiro idealiza o espectáculo “Abraço Lusitano” que com a cantora Alexandra estreia em Janeiro no Cinema S. Jorge, Lisboa, percorrendo de seguida Salas, Auditórios e Casinos de Portugal paralelamente com vários concertos a solo pelo país e pelo estrangeiro.

2014/2015  - Além dos seus espetáculos a solo Gonçalo Salgueiro lança-se em mais um grandioso projecto, desta vez em pareceria com a renomada soprano internacional Elena Mosuc. Numa combinação única e inédita juntam Fado, Opera e Musical – OPERFADO - acompanhados por músicos de fado, orquestras e coros, cuja tournée teve a sua estreia na Roménia, com salas esgotadas e criticas abundantemente generosas! Chegando inclusivamente a serem comparados aos grandes espectáculos de Montserrat Caballé e Freddy Mercury. Na sua mais recente apresentação, 14 de setembro em Iasi, OPERFADO atingiu recordes de público com cerca de 15.000 espectadores!

Gonçalo Salgueiro aceita ainda o desafio de participar no projecto poético-musical “Aire, Fuego e Deseo”, do poeta castelhano Juan Carlos García Hoyuelos, em homenagem a 96.000 pessoas que conservaram o idioma judaico-ibérico nos seus 500 anos de diáspora, dando voz ao tema “Não Há Um Dia”, do compositor Salvador Garcia Pérez e do intérprete de viola de flamenco Mariano Mangas.

Ainda em Setembro, Gonçalo Salgueiro é convidado a encabeçar o festival Caixa Alfama onde participaram cerca de 40 artistas de fado, dando um concerto memorável, no palco principal do evento com um público entusiasta e participativo!

Em janeiro de 2015 actua na Roménia, no Romanian Athenaeum em Bucareste acompanhado pela 1ª Orquestra Filarmónica e Coro da Roménia com a soprano Elena Mosuc.

Em Fevereiro de 2015 inicia os ensaios para mais um musical de Filipe La Féria  "A noite das mil estrelas" no Casino Estoril , onde interpreta variados temas desde o musical Evita , á canção francesa dos anos 50 , passando pelo pop de Antonio Variações dos anos 80 , até ao fado e á opera ! um grande desafio num espetaculo com casas esgotadas desde a sua estreia em abril de 2015 até dezembro do mesmo ano.

A 19 de setembro participa no "Caixa ALFAMA 2015" cantando na Igreja de S.Miguel de Alfama em Lisboa.

A 30 do mesmo mês actua no prestigiado Bérnard Theater da  Opera de Zurique na Suiça onde obtém as seguintes críticas ao seu desempenho:

"Em 30 de setembro de 2015 o artista Gonçalo Salgueiro realizou com a presença da soprano de classe mundial, Elena Mosuc, uma noite de Fado no renomado Zurich Bérnard Theater e mostrou ao publico porque é considerado a voz mais apaixonante de Portugal. O fervor com que o cantor interpretou as melancólicas canções do seu país em todos provocou "pele de galinha".

Com o seu canto expressivo e "soulful" ele entrou completamente na alma dos ouvintes. E mais uma vez mostrou que a música não conhece barreiras línguisticas. Quase sem a presença de portugueses no salão lotado todos entenderam a mensagem de Gonçalo, que pode transportar, como o grande artista que é..emoções como nenhum outro.

É também abençoado com um alcance vocal impressionante, uma das suas grandes vantagens, sobretudo quando ele abandonou o microfone, continuou a cantar e encheu a sala inteira sem amplificação.

Gonçalo Salgueiro parece ter nascido para o palco e de cada concerto faz um evento único e inesquecível.

Qualquer um que o tenha vivenciado quer fazê-lo outra vez. A combinação ópera/fado que Salgueiro e Mosuc trouxeram ao Bérnard Theater é puro prazer e único no mundo. Obrigado Gonçalo, por teres trazido  o teu fado para Zurique e assim, enriquecido as nossas vidas." URSULA BURGHERR -jornalista

Em 2016 Gonçalo Salgueiro e após a conclusão das gravações do seu próximo cd, actua  a 3 de junho no  festival "CAIXA RIBEIRA" .

A 8 do mesmo mês volta á Suiça para, pela 2ª vez, actuar no no Bérnard Theater de Zurique.

A 21 de janeiro de 2017 Gonçalo Salgueiro actua pela 1ª vez no Canadá no Centro Cultural Português de Mississauga.

A 3 de Março de 2017 edita o seu 4º cd "Sombras e Fado".

A 12 de Maio de 2017 ,  a convite da Zagreb Philharmonic Orchestra actua , acompanhado pela mesma , no Lisinski Concert Hall em Zagreb na Croácia , no espetáculo  Tango&Fado. 

 

A 28 de Junho , a convite da Rádio Amália actua como cabeça de cartaz  no espectáculo "Fados a Nossa Senhora" na Igreja de S. João de Brito em Lisboa.

 

Em 24 de Junho de 2017 volta pela terceira vez  ao prestigiado Bérnard Theater de Zurique para mais um serão de Fado tradicional e piano .?

 

De Gonçalo Salgueiro diz:

o musicólogo Rui Vieira Nery

“…é uma voz especialíssima, um dos timbres mais bonitos que têm aparecido no fado nos últimos anos” e mais adiante afirma “… ele quebra o estereótipo fácil da postura fadista masculina tradicional do faia – construindo antes – uma imagem inovadora e até ousada nas suas actuações”.

 

o musicólogo e crítico Costin Popa

… excecional intérprete da tradicional canção popular portuguesa Gonçalo Salgueiro, digno sucessor da famosa Amália Rodrigues (…) de intensa vivência emocional, de profundidade de alma e de poderosa expressividade, a voz de Salgueiro é reveladora de rara sensibilidade em perturbadoras e melancólicas melodias, de extrema tristeza, de dor e consolo. O fado é um mistério que mexe com o espírito e o artista comunica-lo diretamente, com dedicação e paixão, em inflexões e múltiplas vocais e nuances de belíssima coloratura...”.

 

o realizador na TVR Roménia Alex Vasiliu

… a presença em palco do jovem Gonçalo Salgueiro é admirável. Voz limpa, reconfortante, suave e forte, intensa, quer na expressão quer na interpretação e sentimento, ornamentação vocal rica em perfeitos melismas dramáticos, alegres e líricos. Um executante e moderador rítmico excelente, conquista o público. A amplitude vocal, apoiando as passagens com frases melódicas no registo agudo são qualidades que permitem ao jovem cantor pensar sobre a perspetiva de interpretar papéis de ópera…”.

 

a jornalista Anca Florea

… a nostalgia e a magia de canções de amor, por vezes tristes, por vezes sentimentais, repletas de paixão, trazidas pela mão de Gonçalo Salgueiro, cuja agradável voz de tenor transborda em ornamentos, coloratura, arrepiantes emoções e particulares inflexões de enorme efeito, conquistando a admiração de muitos que ao ouvi-lo, descobrem um mundo especial o qual, há uns anos atrás, nos revelou a memorável Amália Rodrigues… ”.

 

 

o jornalista e Prof. Universitário Joaquim Letria

… O fado está em muito boas mãos. Gonçalo Salgueiro prova-o sem necessidade própria nem mandato da jovem geração de que é um dos expoentes. Com sentimento muito próprio, expresso no virtuosismo com que canta, com a sua voz de grande generosidade e, ao mesmo tempo, de surpreendente maturidade, Gonçalo Salgueiro, figura de inovação, continua corajosamente a navegar na nova imagem que dá ao fado e na diferença que Rui Vieira Nery descortinara logo no seu primeiro álbum a solo. Quer quando escolhe o encanto da música e palavras de outros, quer quando vai a músicas difíceis de alguns dos maiores do fado e, por vezes, lhes crava a beleza da sua própria poesia, Gonçalo Salgueiro mostra com consistência uma escolha coerente, muito rica no canto e na palavra poética com que, procurando garantir a diferença, mergulha, respeitoso, na tradição, para partir, depois, rumo ao futuro e à ousadia…

 

Brigitte Mariollat

“Elegância. É a primeira palavra que nos assalta o pensamento quando ouvimos Gonçalo Salgueiro. Depois de o escutarmos jamais poderemos esquecer a sua voz. O distinto e jovem cantor é brilhante como fadista. É português e no seu país o Fado, música que vem da alma, é símbolo nacional. A lendária Amália Rodrigues foi a mais famosa Fadista do mundo e a grande inspiração de Gonçalo Salgueiro. Este jovem artista é muito mais que um talentoso fadista, é um brilhante “performer”. Tem uma técnica vocal perfeita, impecável dicção, fraseio e melodia, um executante exímio, verdadeiro na expressão de sentimentos em palco. O seu amor pela música tem-no conduzido aos palcos com a renomada cantora de Ópera internacional Elena Mosuc, numa série de concertos que combinam Fado com a Arte Lírica. Nestes concertos, com a sua voz potente e sedutora, Gonçalo Salgueiro prova estar ao mesmo nível de uma estrela mundial da Ópera. Detentor de um extraordinário talento, de um coração enorme e de uma alma nobre, Gonçalo Salgueiro merece o reconhecimento público mundial.”


Biografia